Vendas de bujão de gás aumentam 35% na quarentena

Em São Paulo, média de preços no início de março era de R$ 71; hoje botijão custa até R$ 81.

Conjuntura / 15:58 - 26 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Na semana em que o isolamento começou a ser adotado, o volume de vendas de botijões de gás deu um salto de 35%. O levantamento foi feito pelo aplicativo Chama, que conecta revendedores de botijão de gás a consumidores e atua em sete capitais e suas respectivas Regiões Metropolitanas: São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Recife, Florianópolis, Curitiba e Porto Alegre.

Segundo o estudo, o crescimento na busca pelo produto reflete a mudança de comportamento do consumidor:

 "A preocupação com o aumento dos casos da doença forçou o isolamento social e, com isso, as pessoas não só deixaram de frequentar restaurantes como também passaram a cozinhar em casa e com mais frequência, o que tem trazido um aumento do consumo de gás de cozinha", analisa Sheynna Hakim Rossignol, diretora geral do Chama no Brasil.

Com o aumento expressivo da demanda pelo produto os preços também subiram.

Ainda de acordo com o estudo, só em São Paulo a média de preços no início de março era de R$ 71 e agora o botijão pode ser encontrado por até R$ 81. Em Curitiba, onde a média de preço no início do mês era de R$ 69, o produto agora alcança R$ 76. Em Belo Horizonte, os valores foram de R$ 71 para R$ 75.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor