Vendas de veículos usados caíram em abril

Relatório da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto) com dados das vendas no mês de abril de 2021 mostra que os efeitos da segunda onda da Covid-19 que atingiu o país provocou medidas mais enérgicas de isolamento, além de um novo fechamento do comércio no mês passado.

Em compensação, comparando com o mesmo mês de 2020, o aumento das vendas foi de 459,4%! Além disso, o acumulado nos quatro primeiros meses de 2021 também foi 40,7% superior ao mesmo período do ano passado. Em abril forma comercializadas 1.118.285 unidades, contra 1.237.030 em março, um recuo de 9,6%.

O presidente da Fenauto, Ilídio dos Santos, comentou que “os efeitos dessa segunda onda da epidemia se fizeram sentir no mês de abril, mas acreditamos que com a nova flexibilização das medidas e o retorno das atividades do comércio, já anunciadas pela maioria dos governos estaduais, deverá gerar resultados positivos novamente nas próximas semanas. Isso, aliado ao avanço da vacinação por todo o país, deve trazer uma nova onda de confiança aos consumidores”.

Já segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), motocicletas e comerciais leves tiveram resultado positivo e elevam média do setor em abril. Quadrimestre também mostra recuperação este ano e cresce 15,39% sobre acumulado de 2020. Com crescimento de mais de 52%, em abril, as vendas de motocicletas, que estavam com demanda represada, impactaram no resultado total do setor, que apresentou saldo positivo de 6,73% em abril, contra março deste ano. Também os comerciais leves tiveram aumento de 3,64% em abril, na comparação com março de 2021. Os demais segmentos apresentaram retração, em igual período. Escassez de semicondutores e componentes continuam sendo gargalos para regularizar a produção e atender à demanda de veículos. Os dados são de emplacamentos de veículos, em abril e no primeiro quadrimestre do ano de 2021, considerando todos os segmentos automotivos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros).

O setor, em geral, teve aumento de 6,73% nos emplacamentos de veículos, em abril de 2021 (20 dias úteis), totalizando 288.098 unidades, contra 269.927, registradas em março de 2021 (23 dias úteis). Esse saldo positivo pode ser atribuído ao desempenho de vendas de motocicletas, que cresceram 52,03%, em abril.

“Havia um represamento de demanda, no segmento de motos, que pôde ser atendido com o aumento da produção, e isso provocou uma certa distorção, pois notamos que a maior parte dos segmentos ainda sofre queda nas vendas, pela escassez na oferta de produtos, provocada pela falta de componentes e insumos na indústria e, também, em função dos períodos de fechamento dos showrooms das Concessionárias, durante os feriados estendidos, em São Paulo, e demais decretos de restrição do comércio, em outros estados”, analisa o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, que alerta: “Se desconsiderarmos os resultados de motocicletas, o setor, no geral, teria sofrido uma queda de 6,86%, em abril sobre março de 2021”.

Na comparação entre os meses de abril de 2021 e 2020 houve crescimento de 221,29%. “Devemos considerar que abril do ano passado foi o pior momento da pandemia, quando apenas 89.668 veículos foram comercializados. Naquela oportunidade, muitas concessionárias estavam com seus showrooms fechados, por decretos estaduais e municipais, e as redes de concessionárias estavam se adaptando às vendas não presenciais, que hoje ocorrem com mais normalidade”, esclarece Assumpção Júnior.

No ranking histórico, desde 1957, o mês de abril de 2021 está na 12ª posição e o 1º. quadrimestre de 2021 ocupa a 13ª posição.

Leia também:

Fábricas fechadas e falta de peças afetam em cheio indústria de carros

Artigos Relacionados

Passou a boiada

Aprovado texto-base do projeto sobre licenciamento ambiental.

Ataque cibernético deixa parte dos EUA sem combustível

Alta dos preços ao consumidor também preocupa.

Entidade cobra ao Facebook indenização de meio bilhão

Instituto contesta nova política de privacidade do WhatsApp.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Aprovado projeto que asfixia o direito da minoria em sessões da Câmara

Mudanças começam a valer a partir desta quinta-feira.

Confiança da indústria está maior em maio

'Em meio à crise gerada pela pandemia, Estado tem que ser indutor do crescimento econômico', afirma presidente da CNI.

EUA: CPI teve variação acima do esperado

Foi o maior avanço mensal da leitura subjacente desde a década de 80 do século passado.

Latino-americanos viajam aos EUA em busca de imunização

Um anúncio de uma agência de viagens oferece promoções para que mexicanos viajem aos EUA a fim de receber a vacina contra a Covid-19....

Comportamento é misto na Europa nesta manhã

Nesta manhã, Paris opera em queda de 0,10%.