Vendas do comércio carioca cresceram 2,5% em julho

Foi o segundo mês consecutivo de resultado positivo; em junho, vendas aumentaram 0,5.

O comércio lojista do Rio de Janeiro registrou crescimento de 2,5% nas vendas em julho, em comparação com o mesmo mês de 2020, de acordo com a pesquisa Termômetro de Vendas divulgada mensalmente pelo Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio) e pelo Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro (SindilojasRio), que abrange cerca de 500 estabelecimentos comerciais da Cidade. É o segundo mês consecutivo de resultado positivo (em junho cresceu 0,5%).

A pesquisa mostra que os indicadores do mês de julho foram puxados principalmente pelo crescimento das vendas do ramo mole (confecções e calçados) e pelo ramo duro (eletrodomésticos e móveis). A modalidade de pagamento mais utilizada pelos clientes foi a venda a prazo com mais 5,8%, seguida da venda à vista com 3,0%.

Segundo Aldo Gonçalves, presidente do CDL-Rio e do SindilojasRio, que juntos representam mais de 30 mil estabelecimentos comerciais, julho registrou o segundo resultado positivo do ano.

“Este desempenho, mais uma vez, foi motivado pela diminuição das restrições impostas ao comércio pela pandemia e também pelo aumento do número das pessoas vacinadas que vem encorajando os consumidores a sair para as compras. Além disso as vendas também foram aquecidas pela ação pró-ativa dos lojistas, estimulando os consumidores com liquidações, promoções, planos de pagamento diversificados e crediário mais fácil”, explica Aldo.

Em relação às vendas conforme a localização dos estabelecimentos comerciais, no ramo mole (bens não duráveis) as lojas da Zona Sul venderam mais 5,7%, as do Centro mais 4,5% e as da Zona Note mais 3,7%. No ramo duro (bens duráveis) as lojas da Zona Norte faturaram mais 5,5%, as do Centro mais 4,5% e as da Zona Sul mais 2,9%.

Leia também:

Município do Rio gera 22 mil empregos formais no 1º semestre de 2021

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

Supermercados tiveram queda de 7,15% em vendas

Período avaliado em São Paulo foi de 12 meses, já Rio registra expansão de 41,5% de novas unidades no primeiro semestre.

Profissional de nível superior tem 23% mais chance de trabalhar remoto

Com avanço da vacinação no Brasil, 62% das empresas planejam voltar ao presencial.

Últimas Notícias

Lei de Melhoria do Ambiente de Negócios no Brasil

Por Letícia Luzia de Sousa Ramos e Renata Homem de Melo.

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.