Vendas para o Dia dos Namorados cresceram 4,9% em relação a 2023

Varejo eletrônico foi destaque, com salto de 15,5%; comércio físico cresceu 4,1%; PMEs virtuais faturaram R$ 262,5 milhões com a data

171
E-commerce venda online (Foto: Pixabay/CC)
E-commerce (foto Pixabay/CC)

As vendas para o Dia dos Namorados, apuradas entre os dias 6 e 12 de junho, cresceram 4,9%, segundo o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), ante o mesmo período de 2023. O varejo presencial cresceu 4,1% e o eletrônico aumentou o faturamento em 15,5%.

Óticas e joalherias foi o segmento que mais cresceu no período, com variação de 19,1%. Outros setores que apresentaram alta foram móveis, eletro e depto (12,3%); cosméticos e higiene pessoal (9,6%); turismo e transporte (6,5%); supermercados e hipermercados (5,0%) e varejo alimentício especializado (4,3%).

De acordo com Carlos Alves, vice-presidente de tecnologia e negócios da Cielo, o calendário deste ano favoreceu o resultado.

“No ano passado houve um feriado, o que geralmente leva ao fechamento de parte do comércio, bem próximo ao Dia dos Namorados. Em 2024 a situação não se repetiu, ajudando as vendas”, afirma.

Espaço Publicitáriocnseg

Levando-se em conta apenas o varejo presencial, as vendas nas regiões Sul e Nordeste cresceram 5,1% e 5,0%, respectivamente. Na sequência, estão Norte (4,4%), Centro-Oeste (3,8%) e Sudeste (3,7%).

Todas as unidades federativas apresentaram crescimento. A maior variação foi do Rio Grande do Sul, com 11,4%. Em seguida, as principais altas foram Pará (6,4%), Bahia (5,3%), Rio de Janeiro (5,0%), Distrito Federal (4,9%) e Minas Gerais (4,3%).

Já segundo levantamento realizado pela plataforma Nuvemshop, as PMEs virtuais faturaram R$ 262,5 milhões na data deste ano, 35% a mais que o registrado no mesmo período de 2023.

De acordo com Luiz Natal, gerente de desenvolvimento de Plataforma na Nuvemshop, a data está cada vez mais consolidado como uma das principais datas para o varejo virtual.

“O faturamento com o período cresceu nos últimos anos e já é um dos maiores responsáveis pelas grandes movimentações do setor no segundo trimestre. Os lojistas apontam que a redução do faturamento é um problema comum nesse período do ano. E para reverter isso, eles devem aproveitar essas datas comemorativas para realizarem promoções que conectem com o tema e o público-alvo”, finaliza Luiz.

Mais de um milhão de pedidos foram realizados, um total 34% superior em relação a 2023, sendo 80% deles via dispositivos mobile (celulares e tablet). Referente aos segmentos, moda (R$ 92,5 milhões) lidera, seguido por saúde & beleza (R$ 23,5 milhões) e acessórios (R$ 16,5 milhões). Dentre os produtos mais vendidos estão regatas, calças jeans, óculos de sol e acessórios, com um tíquete médio de R$ 251.

São Paulo (R$ 128 milhões), Minas Gerais (R$ 24,5 milhões), Rio de Janeiro (R$ 18,5 milhões), Santa Catarina (R$ 17 milhões) e Ceará (R$ 14 milhões) compõem o ranking dos cinco estados que mais se destacaram com a data. Já em relação aos meios de pagamento, o Pix está cada vez mais consolidado como opção preferida pelos compradores e foi utilizado em 46% dos pedidos, sendo a segunda vez no ano que ultrapassa o uso do cartão de crédito (44%).

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui