Venezuela e Rússia avançam no processo de desdolarização

Venezuela já aderiu ao sistema de pagamentos russo Mir, dando um passo adicional para a desdolarização

101
yván gil e serguei lavrov
Yván Gil e Serguei Lavrov (foto de Marcos Salgado, xinhua)

A Venezuela e a Rússia estão avançando em um processo de desdolarização que lhes permitirá proteger e aumentar seus laços financeiros, comerciais e econômicos, disse nesta quinta-feira o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Yván Gil.

Ele divulgou nas redes sociais que manteve uma reunião em Moscou com o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, na qual concordaram em fortalecer a comunicação financeira entre os bancos centrais de ambas as nações.

Quanto ao progresso no câmbio em suas próprias moedas, o ministro venezuelano comentou que o sistema de pagamentos russo denominado Mir está agora funcionando 100% em todo o território da Venezuela, um passo adicional na desdolarização, que consiste no uso de outras moedas no lugar do dólar.

Segundo declarações do ministro Gil, transmitidas pela Agência Oficial de Notícias Venezuelana, “a Venezuela está disposta a ingressar no Brics o mais rápido possível, proposta que foi valorizada por Lavrov. O Brics reúne Brasil, Rússia, Índia e África do Sul e incorporará seis novos membros em 2024.

Espaço Publicitáriocnseg

Lavrov disse a este respeito que apoiarão “o desejo dos nossos amigos de cooperar e participar ativamente nesta parceria”.

Gil também expressou o apoio da Venezuela a todas as ações tomadas pelo governo russo para “solicitar imediatamente” o levantamento das sanções contra a Rússia que, assim como a Venezuela, sofre sanções impostas pelos Estados Unidos.

O chanceler venezuelano destacou que o Ocidente pretende “minar” a soberania da Rússia e da Venezuela, mas não terá sucesso, uma vez que Moscou e Caracas “protegerão as suas relações bilaterais de todo o tipo de medidas restritivas unilaterais”.

O ministro das Relações Exteriores comentou que a Venezuela e a Rússia chegaram a “acordos importantes” para neutralizar a política de sanções ocidental, segundo a Agência Venezuelana de Notícias.

Com Agência Xinhua

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui