Vinhos de Portugal 2023

233
Vinhos de Portugal
Vinhos de Portugal

A 10ª edição dos Vinhos de Portugal aconteceu no último final de semana no espaço do Jockey Club da Gávea, no Rio de Janeiro e continua neste final de semana em São Paulo, de 15 a 17 de junho, no Shopping JK Iguatemi. O evento já faz parte do calendário das duas capitais, seja para o público mais especializado, seja para os amantes de vinhos ou por quem busca bom entretenimento cultural e gastronômico.

Com o tema “Vinhos de Portugal – 10 anos de Grandes Encontros”, o evento traz cerca de 790 rótulos de mais de 80 produtores portugueses, para serem degustados em diferentes ocasiões: salão de degustação, provas de vinhos temáticas, talk-shows, entre outros.  Participei de uma das atrações inaugurais: a apresentação dos Vinhos da Península de Setúbal, com curadoria do crítico Jorge Lucki, Co-apresentação da jornalista portuguesa Alexandra Prado Coelho e participação de produtores e enólogos de alguns vinhos degustados.

A Península de Setúbal fica logo a sul de Lisboa, com clima mediterrânico, normalmente bem adequado à produção de vinhos tintos encorpados. O melhor vem das subáreas com o dom de balancear a estrutura dos vinhos, isto é, abertas à entrada da brisa oceânica ou impactadas pela altitude, junto da Serra Arrábida. Sob a assinatura de Indicação Geográfica (I.G.), pode-se produzir vinhos de uvas plantadas em todo o distrito de Setúbal, que se estende pela Península de Troia até Santiago do Cacém, no extremo sul, envolvendo uvas tradicionais da região e outras portuguesas e internacionais.

A  D.O. Setúbal é reservada ao vinho mais emblemático da região: o fortificado Moscatel de Setúbal, que pode ser branco, feito com pelo menos 85% da casta Moscatel de Setúbal, ou tinto, feito com pelo menos 85% da casta Moscatel Roxo. Ofuscado pela fama de outros vinhos fortificados portugueses (Vinho do Porto e Vinho Madeira), muitos desconhecem este vinho que pode apresentar qualidade excepcional, como demonstraram dois rótulos degustados nessa sessão: o Moscatel Roxo Superior Quinta do Piloto 2016 e o Alambre Moscatel de Setúbal José Maria da Fonseca 20 Anos.

Espaço Publicitáriocnseg

A D. O. Palmela, autorizada em 1989, coincide geograficamente com o território da D. O. Setúbal, mas vale apenas para vinhos tranquilos tintos feitos com pelo menos 67% da cepa nativa Castelão, localmente identificada como “Periquita” e que passa por um ótimo momento de revalorização. O nome lhe fora dado quando plantada pela primeira vez, por volta de 1830, na propriedade Cova da Periquita, em Azeitão. É ali onde a casta se expressa em toda sua plenitude, sobretudo quando resulta de vinhas velhas em terrenos arenosos – como pudemos verificar no excelente Leo d’Honor Casa Ermelinda Freitas 2015, um tinto 100% Castelão, com 18 meses de passagem em barrica.

Os vinhos da Península de Setúbal, a exemplo de outras regiões portuguesas, vêm lapidando a sua qualidade e isso envolve um trabalho de melhor adaptação de suas castas autóctones, bem como a abertura para inovações, onde há lugar também para experimentação de cepas portuguesas de áreas distintas ou de castas ditas internacionais. A branca mais emblemática, depois da Moscatel de Setúbal é a Fernão Pires, popular e bastante disseminada em todo o país.  Mas o branco seco selecionado para a degustação trouxe um corte muito interessante e raro de duas cepas portuguesas e uma francesa. Falo do Quinta Brejinho da Costa Selection 2022, um corte da Encruzado, Alvarinho e Sémillon.

Outro bom vinho apresentado pela prova foi o Herdade da Gambia Reserva tinto 2021, um blend 50% Touriga Nacional e 50% Syrah, com uma bela trama de frutas vermelhas e notas florais, madeira bem integrada e equilíbrio de estrutura e frescor. Na opinião do enólogo, a melhor expressão da Syrah está em Portugal.  Palpite que certamente os franceses não gostariam de escutar.

São várias provas guiadas por críticos, que podem ser adquiridas no site do evento, além do Salão de Degustação, com oferta de bons vinhos para provar, em muitos casos, com a presença dos produtores e enólogos. O evento tem uma área de convivência com entrada franca, onde são promovidos os talk-shows com personalidades brasileiras e portugueses e pode-se comer e beber avulsamente. Informações e inscrições para o evento em São Paulo: vinhosdeportugal2023.com.br.

Visite a página de  Míriam Aguiar no Instagram e saiba mais sobre CURSOS DE VINHOS (nacionais e internacionais) e Aulas Temáticas: @miriamaguiar.vinhos

Artigo atualizado às 18h03 de 16/6/2023 para inclusão do evento em São Paulo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui