Violência e corrupção cercam Bolsonaro

População vê aumento de ambos, tendência que já ocorria mesmo antes da saída de Moro.

Fatos e Comentários / 19:11 - 22 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Há muitas restrições a pesquisas de opinião de cunho político, tanto pelo recorte como pela interpretação dos resultados. Feita a ressalva, é uma ferramenta que auxilia análises, especialmente de tendências. A pesquisa da XP/Ipespe realizada de 13 a 15 de julho recebeu destaque pela avaliação do presidente Bolsonaro, que merece uma olhada mais profunda dos ganhos e perdas de apoio, especialmente olhando as faixa de renda e locais de moradia.

Mas há dois aspectos menos abordados que valem atenção, por terem sido pilares do início do governo: um é sobre violência e criminalidade; o outro, corrupção. Desde o início do ano, pouca alteração houve no primeiro tópico. E isso não é bom para Bolsonaro. Apenas cerca de 24% dos entrevistados acreditam que a violência e a criminalidade diminuíram ou diminuíram muito. No outro lado, 53% acreditam que aumentaram ou aumentaram muito. Cerca de 1 em cada 3 entrevistados acha que permaneceram no mesmo patamar de 12 meses atrás.

Quanto à corrupção, o gráfico desde o início do governo mostra uma forte queda entre os que acreditam que diminuirá ou diminuirá muito nos próximos 6 meses: de 54% em janeiro de 2019 para 21% agora. No lado oposto, pulou de 16% para 43% (com pico de 47%) os que acham que a corrupção aumentará ou aumentará muito nos próximos 6 meses. Ainda que a saída de Sergio Moro tenha contribuído para esta percepção, antes de o ex-juiz apear do governo a percentagem dos que veem a corrupção piorando já tinha dobrado.

Depois de utilizado para tirar o PT do poder, o tema corrupção saiu da pauta da grande mídia, mas anos martelando na cabeça dos eleitores deixa sequelas. Ainda mais que o Caso Queiroz traz para junto de Bolsonaro tanto a questão do assalto aos cofres públicos quanto a ligação com a criminalidade, especificamente, a milícia. Dois pontos que fragilizam o presidente.

 

Renovação

A eleição para a renovação da diretoria da Federação das Indústrias do Rio (Firjan) está prevista para 18 de agosto. O Sindicato Nacional da Indústria Naval (Sinaval) apoia a renovação e acredita que a chapa liderada por Angela Costa, presidente da Associação Comercial (ACRJ) e do Sindicato da Indústria de Papel e Papelão no estado (Sinpapel), transformará a Federação, com participação e transparência. O atual presidente, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, está há 25 anos no comando da entidade.

O Sinaval aponta a falta de compromisso da atual administração da Firjan com o reerguimento industrial dos municípios – cita Niterói e São Gonçalo como exemplos – e diz que é urgente que a Federação atue junto aos industriais desses locais para ouvir suas demandas e estabelecer prioridades de ação para o desejado progresso econômico.

Acreditamos que o papel adequado para nossa Federação não é apenas ocupar espaços políticos e partidários: é apontar os caminhos e atuar com eficiência para a tão sonhada redenção da indústria do Estado do Rio de Janeiro”, continua o Sinaval. “Sem renovação, não vemos como a situação que hoje observamos nas indústrias de nosso estado possa ser alterada. Precisamos da mudança, e uma mudança já!”

 

Amarelo

O preço do ouro deu um salto de 20% desde o início da pandemia, e o metal era vendido nesta quarta-feira a US$ 1.870 a onça-troy (31 gramas). Analistas apostam que está perto de romper a barreira dos US$ 2 mil pela primeira vez.

 

Rápidas

A 1ª feira virtual de artesanato do país, a Patchwork Arte e Design em Casa, acontecerá de 27 de julho a 1º de agosto e terá oficinas de artesanato, palestras e exposições, além da venda de produtos *** Nesta quinta-feira, às 20h, o grupo de ativistas sociais A Liga promove encontro virtual com a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio, Danielle Barros, sobre a Lei Aldir Blanc e a cultura nas redes. Pelo Face da Liga @aligario2020 *** A Aasp realizará nesta quinta-feira, às 10h, o webinar “Direitos fundamentais em investigações internas”. Inscrições aqui . Às 16h, será o webinar “As revisões previdenciárias pós-Reforma da Previdência”. Inscrições aqui *** Nesta sexta, às 19h, Pedro do Livro, superintendente de Leitura da Secretaria Estadual de Cultura do Rio, bate papo com o comediante Cezar Maracujá, sobre a importância da leitura para a criatividade, no Instagram @pedrodolivro

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor