Violência e corrupção cercam Bolsonaro

Há muitas restrições a pesquisas de opinião de cunho político, tanto pelo recorte como pela interpretação dos resultados. Feita a ressalva, é uma ferramenta que auxilia análises, especialmente de tendências. A pesquisa da XP/Ipespe realizada de 13 a 15 de julho recebeu destaque pela avaliação do presidente Bolsonaro, que merece uma olhada mais profunda dos ganhos e perdas de apoio, especialmente olhando as faixa de renda e locais de moradia.

Mas há dois aspectos menos abordados que valem atenção, por terem sido pilares do início do governo: um é sobre violência e criminalidade; o outro, corrupção. Desde o início do ano, pouca alteração houve no primeiro tópico. E isso não é bom para Bolsonaro. Apenas cerca de 24% dos entrevistados acreditam que a violência e a criminalidade diminuíram ou diminuíram muito. No outro lado, 53% acreditam que aumentaram ou aumentaram muito. Cerca de 1 em cada 3 entrevistados acha que permaneceram no mesmo patamar de 12 meses atrás.

Quanto à corrupção, o gráfico desde o início do governo mostra uma forte queda entre os que acreditam que diminuirá ou diminuirá muito nos próximos 6 meses: de 54% em janeiro de 2019 para 21% agora. No lado oposto, pulou de 16% para 43% (com pico de 47%) os que acham que a corrupção aumentará ou aumentará muito nos próximos 6 meses. Ainda que a saída de Sergio Moro tenha contribuído para esta percepção, antes de o ex-juiz apear do governo a percentagem dos que veem a corrupção piorando já tinha dobrado.

Depois de utilizado para tirar o PT do poder, o tema corrupção saiu da pauta da grande mídia, mas anos martelando na cabeça dos eleitores deixa sequelas. Ainda mais que o Caso Queiroz traz para junto de Bolsonaro tanto a questão do assalto aos cofres públicos quanto a ligação com a criminalidade, especificamente, a milícia. Dois pontos que fragilizam o presidente.

 

Renovação

A eleição para a renovação da diretoria da Federação das Indústrias do Rio (Firjan) está prevista para 18 de agosto. O Sindicato Nacional da Indústria Naval (Sinaval) apoia a renovação e acredita que a chapa liderada por Angela Costa, presidente da Associação Comercial (ACRJ) e do Sindicato da Indústria de Papel e Papelão no estado (Sinpapel), transformará a Federação, com participação e transparência. O atual presidente, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, está há 25 anos no comando da entidade.

O Sinaval aponta a falta de compromisso da atual administração da Firjan com o reerguimento industrial dos municípios – cita Niterói e São Gonçalo como exemplos – e diz que é urgente que a Federação atue junto aos industriais desses locais para ouvir suas demandas e estabelecer prioridades de ação para o desejado progresso econômico.

Acreditamos que o papel adequado para nossa Federação não é apenas ocupar espaços políticos e partidários: é apontar os caminhos e atuar com eficiência para a tão sonhada redenção da indústria do Estado do Rio de Janeiro”, continua o Sinaval. “Sem renovação, não vemos como a situação que hoje observamos nas indústrias de nosso estado possa ser alterada. Precisamos da mudança, e uma mudança já!”

 

Amarelo

O preço do ouro deu um salto de 20% desde o início da pandemia, e o metal era vendido nesta quarta-feira a US$ 1.870 a onça-troy (31 gramas). Analistas apostam que está perto de romper a barreira dos US$ 2 mil pela primeira vez.

 

Rápidas

A 1ª feira virtual de artesanato do país, a Patchwork Arte e Design em Casa, acontecerá de 27 de julho a 1º de agosto e terá oficinas de artesanato, palestras e exposições, além da venda de produtos *** Nesta quinta-feira, às 20h, o grupo de ativistas sociais A Liga promove encontro virtual com a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio, Danielle Barros, sobre a Lei Aldir Blanc e a cultura nas redes. Pelo Face da Liga @aligario2020 *** A Aasp realizará nesta quinta-feira, às 10h, o webinar “Direitos fundamentais em investigações internas”. Inscrições aqui . Às 16h, será o webinar “As revisões previdenciárias pós-Reforma da Previdência”. Inscrições aqui *** Nesta sexta, às 19h, Pedro do Livro, superintendente de Leitura da Secretaria Estadual de Cultura do Rio, bate papo com o comediante Cezar Maracujá, sobre a importância da leitura para a criatividade, no Instagram @pedrodolivro

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.