VIP

Não se sabe se as Operações Kaspar I e II provocarão mudanças mais profundas de rotina. Mas, até recentemente, um ex-executivo de um bancão internacional recebia, em seu escritório em Ipanema, Zona Sul do Rio, uma seleta clientela de rentistas e empresários com muita bala na agulha para aplicações off shore.

Estelionato, não!
A derrota do governo na tentativa de prorrogar a CPMF não pode servir de senha para uma adesão do governo Lula ao programa de Geraldo Alckmin, repudiado nas urnas, em 2006. Afinal, era o tucano que defendia – ainda que se escudando em linguagem cifrada – o desmonte do Estado e um ataque mais incisivo aos direitos sociais. Bastou, no entanto, uma breve rememoração do que representaram as privatizaçõe$ da interminável era FH para que Alckmin passasse a renegar o passado do próprio governo tucano e perdesse o entusiasmo retórico quando convocado a apontar os alvos dos cortes públicos.
Por isso, é preocupante que, diante da perda de R$ 40 bilhões do Orçamento, o primeiro ato do ministro da Fazenda, Guido Mantega, seja descartar a hipótese de mexer no superávit primário. Ou seja, R$ 40 bilhões viram pó e a preocupação primeva de Mantega é garantir os recursos do principal programa social do governo Lula, o Bolsa Juros, que, em 2006, foi brindado com R$ 160 bilhões.
Num primeiro momento, a sobra de arrecadação permitida, em parte, pelo crescimento do país, não provocará danos mais profundos pela perda da CPMF. A seguir, no entanto, o governo deve se dedicar a recompor as fontes permanentes de financiamento da Seguridade Social. As vontades desejosas de tucanos e pefelistas de aumento dos cortes dos gastos públicos não-financeiros devem ser dirigidas a Sua Excelência o leitor, em 2010, quando terão oportunidade de explicitar que setores devem ser vitimados para permitir a drenagem de recursos para o pagamento de juros a rentistas e sonegadores.

Ameaças virtuais
As principais ameaças à segurança online em 2008 são, segundo a Websense: as Olimpíadas (que irão incitar uma onda de atividade de piratas do computador); iPhones, o telefone da Apple; ataques na Web 2.0; spam invadindo blogs e mecanismos de pesquisa; sites “comprometidos”, afetados pelos hackers; contaminação do JavaScript para fugir de antivírus; métodos de ocultação de dados, que ganham sofisticação; “vishing” e spam por voz irão se juntar e aumentar os riscos cibernéticos.

Leão perdeu
O escritório C.Martins & Advogados Associados conquistou na Justiça o cancelamento de lançamentos tributários feitos pelo fisco. Segundo os advogados, o 1º Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda acolheu recurso em que sustentaram que o fato de a sociedade de serviços advocatícios estar sujeita ao regime de lucro presumido impede a aplicação de sanção por omissão de receita, já que os valores não apresentam qualquer relevância para o resultado final de determinação da base de cálculo dos tributos. Além disso, os valores que a Receita Federal no Rio de Janeiro reputava como receita da sociedade eram, na verdade, fruto de rateio de despesa entre duas pessoas jurídicas distintas.

Esmola
A professora Maria Thereza Menezes, chefe do departamento de Serviço Social da UFF, lança no próximo dia 19, na livraria Argumento, o livro Economia Solidaria, pela Editora Gramma. O livro examina, por um ângulo crítico, as relações entre as propostas e práticas da chamada economia solidária (microcrédito, cooperativas de trabalho, mercados de trocas, microempreendedorismo etc.), a emergência, a expansão e os suportes políticos e ideológicos do terceiro setor no Brasil e o papel dessas práticas, supostamente alternativas ao capitalismo, na sustentação da pobreza no circuito da financeirização do capital.

Surfista
Um dos políticos mais impopulares da Rússia por sua contribuição para a implosão da União Soviética, Mikhail Gorbachev tem feito alguns movimentos na direção do governo Vladimir Putin. Ao cumprir de evento nos Estados Unidos, Gorbachev defendeu o processo eleitoral russo, criticado por governantes ocidentais: “Qual o motivo dessa reação? É a tentativa de deter o processo do renascimento e fortalecimento da Rússia. É por isso que eles não sabem como proceder com a Rússia. Eles fizeram muito nos últimos dez a 15 anos, e fizeram isso partindo da sua fraqueza. E agora neles surgiu o medo de que surge diante dos seus olhos uma Rússia que promete ser um concorrente forte.”

Artigo anteriorImpério em baixa
Próximo artigoRombo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Chile, Paraguai, Colômbia… e o Brasil?

Crises políticas e sociais nos países vizinhos acendem alerta.

Na pandemia, BNDES vendeu ações que agora valem o dobro

Em nove meses, banco perdeu R$ 8 bi só em 1 operação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Conteúdo online voltado para o ensino e para ganhar dinheiro

Cada vez é mais possível aproveitar o conteúdo online para avanços desde a fluência do inglês das crianças a até aprender a operar como trader na bolsa.

Queda de faturamento atinge 82% dos MEI

Em Minas, 60% dos microempreendedores individuais formalizados na pandemia abriram o negócio por oportunidade.

Inflação oficial fica em 0,31% em abril

Grupo com alta relevante no mês foi alimentação e bebidas (0,40%), devido ao comportamento de alguns itens.

Manhã de hoje é negativa em quase todo o mundo

Em Nova Iorque, Dow Jones e S&P futuros cediam 0,10% e 1,04%, respectivamente.

Projeção da Selic é de 5% no final deste ano

Para o ano que vem, analista projeta 6,5%, dado o alerta do Copom sobre o ritmo de normalização após reunião de junho.