Visibilidade

Para que o ministro Antônio Palocci possa ter uma dimensão não econométrica dos brasileiros desempregados durante sua sugestão, esta coluna lembra que os 2 milhões sem-emprego na região metropolitana de São Paulo representam duas vezes a população do Piauí. Se ainda assim, Palocci tiver dificuldade de identificá-los, poderia convocá-los para uma caminhada a pé entre Rio e São Paulo para assistirem às maravilhas produzidas por seu superávit primário (economia para pagar juros) de 4,25% do PIB. Caberia 1,6 milhão entre os 400 quilômetros que separam as duas cidades e ainda sobrariam 400 mil – cinco Maracanãs ou Morumbis lotados – para assistir quem sabe a uma partida entre os amigos do Lula e os sem-amigos no FMI.

Álibi
Se ainda assim, Palocci considerar que sua política econômica não tem nada a ver com isso, pode atribui-la à Al-Qaeda, ao Jossiel ou ao Andinho. Como o primeiro tem sido uma desculpa cativa de Bush, pode recorrer ao caseiro ou ao bandido paulsita, que, por enquanto, só não assumiram ainda a culpa pela morte de Tiradentes e do Lineu.

Fim do Clube do Bolinha
Primeira mulher a receber o Prêmio de Administrador Emérito do CRA, Luiza Helena Trajano Inácio Rodrigues lidera a administração da Magazine Luiza, rede de lojas de departamentos, uma das quatro maiores do Brasil, com faturamento anual superior a R$ 920 milhões no ano passado (30% superior a 2002). Na empresa desde menina, Luiza trabalhou em todos os departamentos e funções e assumiu o comando em 1991 a pedido da tia Luiza Trajano Donato, que fundou a empresa em 1957. A rede hoje conta com 4,3 mil funcionários e 175 lojas em 136 cidades brasileiras.
O prêmio, criado em 1982 e que já foi concedido pelo Conselho Regional de Administração a nomes como Silvio Santos e o atual ministro do Desenvolvimento, Luiz Furlan, será entregue no próximo dia 28, a partir das 19h30, na Bovespa.

Emprego formal
O município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, ocupa o segundo lugar no Estado do Rio de Janeiro e o oitavo no país nas estatísticas de Evolução do Emprego Formal do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, em 2003. No Rio, Caxias só perde para a capital. Em nível nacional, fica atrás de capitais como São Paulo, Belo Horizonte, Fortaleza e Manaus, do Distrito Federal e da cidade mineira de Uberlândia. As estatísticas do Ministério do Trabalho e Emprego do ano passado revelam que o município é responsável por 4,53% dos empregos formais no estado, contra 2,59% de Nova Iguaçu, 2,78% de Campos, 2,92% de Macaé e 1,76% de Volta Redonda.

Quem paga
A opinião do empregador – responsável por cerca de 75% do financiamento do sistema de saúde suplementar – estará em debate no seminário A visão do Financiador do Sistema de Saúde Suplementar: Atualidade, Expectativa e Desafios, que o Sindicato dos Hospitais do Rio de Janeiro (Sindhrio) realiza amanhã na sede da Fecomércio-RJ. Segundo os hospitais, é comum não se enxergar o sistema além das fronteiras que separam a tensa relação entre operadoras e prestadores de serviços. É desconhecido ou muitas das vezes esquecido que os que financiam a maior parcela do sistema de saúde suplementar – as empresas – também se encontram preocupados e insatisfeitos com o momento atual, enfrentando, cada vez mais, dificuldades em continuar financiando este benefício a seus empregados.

Alegria, alegria
Pessoas deprimidas têm 60% mais probabilidade de desenvolver doenças como isquemia (entupimento das coronárias) do que quem não sofre de depressão. Pesquisa mostrou que os pacientes com sintomas da depressão registraram mortalidade 40% a mais que o segundo grupo. Segundo o cardiologista Marcos Benchimol, 30% dos pacientes que chegam pela primeira vez ao seu consultório com sintomas cardíacos estão em depressão ou já manifestam a doença. Benchimol lembra que o caminho também pode ser inverso. “Cerca de 20% dos doentes cardíacos acabam tendo depressão”.

Artigo anteriorPotência
Próximo artigoPesquisa nacional
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

Ibovespa futuro sobe no momento, mas com muita cautela

No exterior, Bolsas globais recuam em meio a preocupações com a inflação nos EUA.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.