Volks comemora 70 anos e resgata a Kombi

147
A nova kombi da Volks tem a versão de carro eleétrico

Ao celebrar em uma grande festa os 70 anos de Brasil, a Volkswagen levou mais de 5 mil pessoas ao Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, entre funcionários das fábricas, concessionários e autoridades, para contar os feitos de 7 décadas e apresentar novidades. A começar por dois lançamentos de carros elétricos: o ID.4 e a ID.Buzz. O primeiro é um SUV crossover que já está disponível, mas em um primeiro momento apenas por assinatura. No plano de 24 meses e 1 mil km de franquia, as parcelas saem por a partir de R$ 9.990.

No ID.4, o conjunto elétrico é montado no eixo traseiro de 150 kW ou 204 cv e 31,6 kgfm de torque, com tração apenas nas rodas traseiras. A bateria de 77 kW oferece sistema de recarga rápida e é capaz de completar até 80% em cerca de 40 minutos, considerando um carregador DC rápido (150 kW). A autonomia é de 370 km pelo Inmetro.

A nova Kombi, a ID.Buzz, traz o mesmo conjunto elétrico traseiro de 204 cv e chega em lote limitado especial com 70 unidades. A montadora ainda não revelou seu preço. Totalmente elétrica, a ID.Buzz se baseia na primeira geração da Kombi original, a T1, e é construída sobre a plataforma modular elétrica (MEB) do grupo Volkswagen.

Os dois modelos fazem parte da ofensiva de 15 novos produtos da marca no Brasil até 2026. O CEO da Volks, Ciro Possobom, ainda anunciou que, dentre as novidades, haverá modelos flex, elétricos e híbridos flex (esses ainda inéditos).

Espaço Publicitáriocnseg

BYD lança Dolphin, de olho nos elétricos de entrada

Os carros elétricos ainda têm pouca representatividade nas ruas, mas são as principais novidades em lançamentos. Caso da chinesa BYD, que inicia as vendas do Dolphin.

Por R$ 149.800, o compacto quer fisgar compradores de elétricos de entrada (Renault Kwid E-Tech, Caoa Chery iCar e JAC e-JS1), mas com mais espaço, conteúdos e autonomia. Durante o evento de lançamento, a vice-presidente global da BYD disse que o Dolphin chega com a proposta de ser “o primeiro elétrico em sua garagem”.

O motor elétrico dianteiro rende 94 cv, torque instantâneo de 18 kgfm e seu conjunto de bateria blade de 45 kWh garante autonomia de 291 km. Em tomadas 220V, leva 8 horas para recarga completa. Em wallbox, cerca de 4 horas, e em carregadores rápidos, 40 minutos.

A marca diz que uma carga completa custa em torno de R$ 45, e por isso seu custo por km/rodado é de R$ 0,11, bem menos que um modelo flex, que consome R$ 0,44 por km/rodado. O plano de revisão até 100 mil km custa R$ 3.280.

No banco traseiro, o compacto de 4,13 m de comprimento e 2,7 m de entreeixo, equivalente a SUVs compactos (como Nissan Kicks, Hyundai Creta e Honda HR-V), tem assoalho plano e espaço de sobra. O porta-malas acomoda bons 345 litros de volume.

Por dentro, o Dolphin traz materiais de ótima qualidade e tela multimídia giratória de 12,8 polegadas, entre outros itens.

O primeiro lote de 350 carros já está todo vendido. A BYD diz que tem capacidade para importar até mil Dolphins por mês. Até o fim do ano, a marca, que tem 25 lojas, garante atingir 100 concessionárias abertas em todo o país.


Toyota traz inédito Corolla ‘envenenado’

Nem todos os lançamentos são de carros elétricos. A Toyota começa a vender o inédito hatch do Corolla em duas versões envenenadas GR (sigla de Gazoo Racing). As primeiras 99 unidades chegam esta semana às concessionárias com GR Garage em São Paulo, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre.

O motor é o 1.6 turbo, de três cilindros, que rende 305 cv, acoplado ao câmbio manual de 6 marchas e tração integral.

O Corolla GR Core custa R$ 416.990, enquanto a versão Circuit, a R$ 461.990, se diferencia pelo teto em fibra de carbono, head-up display, alerta de ponto cego e carregador por indução. A versão mais cara, que a Toyota aposta que representará 80% das vendas, ainda traz como diferenciais mudanças na suspensão e na tração integral e redução de peso.

Em relação ao sedã Corolla, o hatch possui 349 pontos a mais de solda para reforçar a rigidez da carroceria.


Peugeot lança furgão menor para a cidade

A Peugeot inicia as vendas de uma nova versão do Boxer que pode ser dirigida por motoristas com CNH categoria B e é ideal para rodar nos centros urbanos, nas entregas last mile.

O furgão L2H2, com 11,5 m³ de volume útil, traz motor 2.2 turbo diesel BlueHDi, de 140 cv, com transmissão manual de seis marchas.

Seu consumo chega a 10 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada, segundo o Inmetro. O utilitário custa R$ 245.990.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui