Volta às origens

Ex-dirigente da Associação de Funcionários do Ipea, a economista Beatriz David não crê que as mudanças implementadas pela nova diretoria do instituto, entre elas a reformulação do Boletim de Conjuntura e o afastamento de alguns aposentados, repercutam mal entre o pessoal da casa: “A função do grupo de conjuntura, criado pelo então ministro do Planejamento, João Sayad, é municiar o governo com informações para tomadas de decisão. Nunca para ficar projetando inflação ou desempenho do PIB, como fazem os bancos”, disse.
Até pouco tempo, cada nova edição do boletim era apresentada por Fábio Giambiagi em entrevista coletiva, na qual repetia o mantra do corte nos gastos públicos não-financeiros.

Confissões de um golpista
Foi Pedro Carmona, presidente da Federacamas e golpista relâmpago que sucedeu a Hugo Chávez por 48 horas, quem admitiu ter recebido apoio dos então presidentes da Espanha, José Maria Aznar, e da Colômbia, Álvaro Uribe, além de mensageiros do governo Bush. A revelação consta do Blog do Rovai (www.revistaforum.com.br/sitefinal/Blog/default.asp) que reproduziu entrevista que lhe foi concedida pelo próprio Carmona, em abril de 2002, quando este estava em prisão domiciliar na Venezuela, após Chávez ter retornado ao cargo.

Íntimos
Em seu blog, Rovai reproduz a indagação que fez à época a Carmona sobre os apoios internacionais recebidos durante sua curta aventura no poder, bem como a respectiva resposta do presidente da Federacamas: “Imagino que naquele momento o senhor foi procurado por chefes de Estados ou mesmo embaixadores de diversos países?” “Claro, mas eu não tive oportunidade falar com ninguém. Só falei com dois presidentes, brevíssimas chamadas para os presidentes de Colômbia e Espanha, mais para informá-los do que para pedir reconhecimento ao meu governo. E recebi uma visita informal do embaixador dos EUA e também do embaixador da Espanha. Não posso dizer que me apoiaram ou não. Só os informei das minhas intenções democráticas.”

Porque não se cala
O jornalista ressalva que “claro que não podia dizer mais do que isso, estava preso. E o golpe que havia tentado tinha sido um fracasso. Dá para entender por que Chávez chama Aznar e Bush de fascistas ou certos coleguinhas da imprensa preferem que se faça um desenho para eles entenderem?”

Dubai
O professor Bayard Boiteux ,diretor da Escola de Turismo e Hotelaria da UniverCidade, viaja para Dubai, meca do entretenimento, na segunda quinzena de dezembro. A visita servirá para incluir uma disciplina sobre a cidade, uma nova tendência do turismo, e também permitir a conclusão do livro Excelência no Atendimento, que Bayard lança em maio com Mauricio Werner e trará um capitulo sobre Dubai. “Estamos sempre atentos para as novidades no mercado internacional”, destacou Bayard.
A cidade árabe terá o maior parque temático do mundo, o Dubailand. Em Abu Dahbi, outro dos Emirados Árabes Unidos, serão edificadas uma filial do Louvre e outra do Gugheim. Dubai já recebe hoje 5 milhões de turistas e devera receber, dentro dos próximos cinco anos, 15 milhões.

Orçamento
Pessoal, água e luz são as principais fontes de despesas – e de problemas – dos condomínios. Para ensinar a lidar com esses gastos e desenvolver com eficácia ferramentas para realizar a composição do orçamento o Centro de Capacitação do Secovi Rio realiza, dias 3 e 5 de dezembro, o curso Previsão Orçamentária para Condomínios. As aulas, de 13h30 a 17h30, na sede do sindicato (Av. Almirante Barroso, 52 / 9º andar, Centro, RJ), trarão temas como: despesas contratadas e a contratar; gastos ordinários e extraordinários; como organizar as previsões para o próximo ano; e outros. Para inscrições e informações, (21) 2272-8000 ou capacitacao@secovirio.com.br

Desperdício
As cidades são responsáveis por 75% da energia consumida no planeta; nas 40 maiores metrópoles, até 50% dessa energia é desperdiçada por ineficiência das edificações. E cerca de metade da energia consumida pelos edifícios é gasta com ar condicionado e com luzes ligadas sem necessidade. Os dados são do pesquisador norte-americano Ira Magaziner, diretor da Iniciativa de Mudanças Climáticas da Fundação Clinton.

Artigo anteriorImposto Robin Hood
Próximo artigoNova ordem
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Castello Branco diz adeus à Petrobras

Assembleia de acionistas da estatal aprovou a destituição.

Alerj pede ao STF suspensão do pagamento de dívida na pandemia

Alerj estima que desde março de 2020, quando se iniciou a pandemia, o Estado do Rio já quitou R$ 1 bilhão em juros da dívida com a União.

Governo Bolsonaro tumultua e população vive drama para receber auxílio

Consórcio do Nordeste, formado por todos os governadores da região, defende que governo descentralize pagamento do benefício.

Indústria do cimento cresce 19% no 1º tri

Mau desempenho no primeiro trimestre de 2020, em razão das fortes chuvas e do início da pandemia, frente ao mesmo período de 2021, refletiram na alta do setor.

Metroviários de SP param por vacinas e lockdown

Greve de 24 horas pede medidas de prevenção contra Covid para trabalhadores do transporte público.