Volta

A afirmação do secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, de que não há necessidade de o Brasil renovar o acordo assinado com o Fundo Monetário Nacional em setembro de 2002 e renovado pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva no final do ano passado não surpreendeu. A equipe econômica se encarregou de impor metas – ainda mais draconianas – para inflação e superávit primário. Aliás, um novo acordo não seria mal recebido: o FMI exigia superávit de “apenas” 3,5% do PIB, turbinados para 4,25% pelos neotucanos da Fazenda.

Bye, bye
Donos de postos de gasolina com a bandeira da Shell já estão movimentando seus advogados para resguardar direitos, com a saída da empresa de petróleo da área de distribuição no Brasil. Os postos devem ser repassados para uma empresa espanhola.

Fuga
Quando o Tribunal de Contas da União (TCU) sugeriu a devolução de áreas petrolíferas descobertas pela Petrobras, para novo leilão, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) não se manifestou com vigor. Mas quando descobriu-se que a questão atingia também as empresas estrangeiras, a ANP chiou.

Filé
Ação popular, com pedido de liminar, foi impetrada em nome do diretor do Sindipetro-RJ Emanuel Jorge Cancella, solicitando a retirada do bloco BC-60 do sexto leilão de nossas bacias sedimentares, previsto para agosto. O BC-60 faz parte do filé mignon das áreas produtoras de petróleo, que a Petrobras selecionou como prioritária para ser explorado pela empresa. Por pressão do Governo Federal, as “áreas azuis” vêm sendo incluídas na “leiloata”. No ano de 2003, já sob a gestão de Luiz Inácio Lula da Silva, a Petrobras, que havia classificado o BC-60 com a cor azul, inexplicavelmente, devolveu parte do bloco.

Minimalista
A Essilor, fabricante das lentes Varilux, lança hoje a menor lente de óculos do mundo. Será na Abiótica 2004 – Feira Internacional de Produtos e Equipamentos Ópticos, em São Paulo.

Lava mais branco
Prevenção à lavagem de dinheiro é o tema da palestra que o chefe do Departamento de Combate a Ilícitos do Banco Central, Ricardo Liao, fará hoje na Associação e Sindicato dos Bancos do Rio de Janeiro. Será às 15h, no auditório das entidades (Av. Rio Branco, 81/19º andar) e a participação é gratuita.

Legal
O advogado Roberto Schultz criou O Publicitário Legal (www.robertoscultz.com.br) para proteger os interesses legais das agências, publicitários, anunciantes e consumidores. “Em publicidade, o grande risco é a gente arrombar a porta de dentro para fora, ao colocar na rua campanhas que envolvam milhões de reais, grandes talentos e marcas sem uma devida proteção legal”, diz. É preciso um contrato que proteja os interesses de todas as partes, defende o advogado.

Artigo anteriorGeneral Bush
Próximo artigoCompre pequeno
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.