Zodíaco dos vinhos: Câncer

Um vinho de perfil acolhedor, com aromas delicados, elegância e maciez.

Seguimos a nossa viagem astro-enológica com bons resultados. Os leitores têm se identificado com as abordagens dos signos e suas correspondências com os vinhos. Inevitável o desejo de que o vinho do seu signo seja aquele de que mais gosta, mas uma coisa é certa: todos os signos e vinhos têm qualidades e defeitos – o que pode ser qualidade para um pode ser defeito para outro!

Agora é a vez do primeiro signo de Água. Os signos deste elemento natural são especialmente impactados pelas emoções, pelos afetos, com marcante intuição e sensibilidade. A predisposição é para uma energia mais Yin: receptividade, introspecção, imaginação. O ritmo das águas tem uma cadência e vibração mais constante, que relaxa e acalma. É a força da duração. Michael Pollan, em seu livro e documentário Cooked, associa o elemento água aos ensopados. A água multiplica o pão e apura o sabor.

Juntando-se a isso, o signo de Câncer é regido pela Lua, o único satélite natural da Terra, com uma rotação sincronizada e grande impacto em nosso cotidiano, seja ele de cunho simbólico ou físico. Apesar de ser um dos maiores satélites do sistema solar, tem uma atmosfera muito rarefeita, susceptível a raios solares, a variações de temperatura e a contínuos impactos de meteoros, cometas e asteroides. O temperamento fleumático da água se soma ao perfil lunar, fazendo do canceriano uma pessoa muito susceptível ao seu entorno, emotivo e de humor instável. Câncer, em latim, significa caranguejo, crustáceo que tem uma carapaça que o ajuda a se proteger das ameaças externas, já que os afetos importam muito, mas podem causar extrema alegria ou sofrimento.

As pessoas cancerianas são consideradas as mais sensíveis, afetuosas, solícitas e empáticas do zodíaco. Buscam romances intensos e duradouros, que alimentem suas necessidades de estarem emocionalmente plenas e menos vulneráveis às vicissitudes da vida. Eis que o falante e cortejador geminiano começa a se sentir sozinho, mesmo estando sempre acompanhado. Afinal, falta foco e profundidade nesse múltiplo e constante frenesi social. Hora de se arriscar a mergulhar no complexo universo das emoções!

Um vinho de um signo de água não deve ter muitas arestas, pontos de tensão, ou seja, nada de acidez nervosa e taninos agressivos. Sendo ele canceriano, este vinho deve ter um perfil acolhedor, o que pode ser concedido pelo dulçor do vinho, pelos aromas delicados, pela elegância e maciez.

Em seu primeiro decanato, influenciado por Gêmeos, o vinho ainda traz a vocação para várias personas, só que com perfis mais suaves e femininos. É a vez da Moscatel, ou, se preferir, Moscato d’Asti, Muscat de Alexandria, Muscat à Petit Grains, Muskateller, Moscatel de Setúbal – uma grande família de uma cepa ancestral, que se metamorfoseia em colorações e tipos distintos, dando origem a vinhos espumantes, secos, licorosos, fortificados – de modo geral, mais delicados, com notas frutadas e florais. A Moscatel, apesar de assinar muitos vinhos doces, tem acidez suficiente para equilibrá-los.

O clássico canceriano não é uma uva branca, tampouco uma uva tinta agressiva – é a imprevisível e nobre Pinot Noir, que faz um dos vinhos tintos mais delicados do mundo, com aromas de frutas vermelhas, acidez mediana, taninos macios. Trata-se de um vinho fácil de agradar, mas quem o conhece melhor sabe o quanto esta cepa é sensível e temperamental e nem sempre se mostra integralmente.

Todos querem fazer este vinho, mas há que se tomar cuidado com a sua vulnerabilidade. É uma uva carangueja, de casca fina e fraca resistência ao calor, à umidade, às intempéries da viticultura. No entanto, onde ela se sente à vontade, em territórios conquistados, finca raízes fecundas, ganha toques terrosos e grande complexidade. Quem explica o caso de amor entre a Pinot Noir e a Borgonha?

O terceiro decanato é uma cepa de difícil cultivo, tem baixa acidez e requer cuidadosa maturação. Mas isso a torna mais exclusiva e valorizada. É na Alsácia, França, que ela exala seus mais contagiantes aromas florais, frutas tropicais e especiarias. Seus vinhos, mesmo secos, denotam certo dulçor e é muito comum as versões em colheita tardia e botritizadas (Grains Nobles).

A Gewurztraminer tem um perfume extremamente sedutor, que rouba a cena… é uma espécie de Moscatel menos popular. Talvez mais metida? Mas lógico que sim, pois vem aí Narciso em forma de signo! Gewurztraminer é o vinho canceriano com um charme leonino – tirando a carapaça para encantar as nossas taças!

Se quiser conhecer e adquirir os kits de vinhos de cada signo, me siga no Instagram: @miriamaguiar.vinhos, Para saber sobre Cursos e Wine Masters Class de Míriam Aguiar, visite: miriamaguiar.com.br/blog

Miriam Aguiar
Jornalista, educadora e especialista em vinhos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Vinhos do Dão: elegância consistente do Centro Norte de Portugal

Dão Experience apresenta a riqueza de sua vitivinicultura com prova virtual de cinco vinhos premiados.

Eleitores brasileiros no exterior

Por Bayard Boiteux

‘Vices’ assumem e dão show de competência

Por Sidney Domingues e Sérgio Braga.

Últimas Notícias

Guedes fica mesmo avaliado com nota baixa

Apesar de abrir a possibilidade de aumentar a crise econômica e do desrespeito ao teto de gastos ou outras regras fiscais para bancar medidas...

Ex-ministro de Temer substituirá Funchal

O ex-ministro do Planejamento Esteves Colnago assumirá o comando da Secretaria Especial de Tesouro e Orçamento da pasta. A nomeação foi confirmada nesta sexta-feira...

Receita Federal abre consulta a lote residual de Imposto de Renda

A Receita Federal abriu nesta última sexta-feira consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) relativo ao mês...

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,238 bi em setembro

As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 1,238 bilhão em setembro deste ano. De acordo com os dados do...

81% dos brasileiros têm contas em mais de uma instituição financeira

Oito em cada dez brasileiros têm conta em mais de uma instituição financeira, ou seja, controla suas finanças de força desagregada. É o que...