Zodíaco dos vinhos: Gêmeos

O vinho de um signo de ar deve ter leveza, e um elemento fundamental para isso é a acidez.

Após Áries e Touro, signos de fogo e terra de perfis mais calorosos, chegamos a um signo de ar, de natureza essencialmente comunicativa. Um signo de ar tem uma vibração que passa pelo espírito, pela mente, pelo intelecto e pela criatividade. Onde há ar, há movimento, há trocas, mudanças de temperamento e humor. A sociabilidade é o emblema geminiano. Toda a fixidez conservada pelo taurino dá lugar à transitoriedade da vida, à qual o geminiano sabe muito bem se adaptar.

O planeta regente de Gêmeos é Mercúrio, o menor planeta do sistema solar e mais próximo do sol, embora não seja o mais quente, já que sua atmosfera fina é incapaz de reter calor, podendo variar de 400oC durante o dia a -170oC à noite. É, portanto, instável climaticamente, e isso vem reforçar o caráter mutante do geminiano.

Na mitologia romana, Mercúrio, que corresponde a Hermes na mitologia grega, é o Deus mensageiro, e isso se deve à sua rápida e incomum órbita, que completa uma volta em torno do sol em apenas 88 dias. O Deus Mercúrio conecta os povos, com sua rápida e inventiva translação.

Dessa união de fatores, surge Gêmeos, um signo de espírito festivo, comunicativo, adaptável a diferentes circunstâncias, mas que, justamente por essa sua capacidade de se transformar no trato social, é visto como inconstante, às vezes dissimulado e superficial. Problemas à parte, é uma das companhias mais divertidas e excitantes do zodíaco.

A imagem que me vem dessa transição entre o sistemático e comedido taurino e o falante e performático geminiano é de alguém que, de repente, diante do conforto estático de sua clausura, percebe que falta ar… abre a janela e deixa o vento entrar. Nessa brisa de ar, corre um perfume afrodisíaco de outros temperos, outros cheiros. É hora de se abrir para o mundo, de tirar o pé do chão e voar.

E o que tudo isso tem a ver com vinhos? Como passar de um signo robusto e caloroso para a silhueta fina do geminiano? O vinho de um signo de ar deve ter leveza e um elemento fundamental para isso é a acidez – uma energia diferente da do fogo, do álcool e que torna o vinho mais flexível a várias circunstâncias: pode ser bebido como aperitivo, harmoniza mais facilmente com vários pratos, pode até acompanhar uma balada.

O álcool “chapa”, a acidez levanta. O primeiro decanato de Gêmeos ainda conserva o aspecto gourmand e caloroso do taurino, mas com um perfil mais vibrante e instável. Aqui, cabe a uva Sangiovese, a mais famosa italiana, matéria prima do Chianti, Brunello, Morellino di Scansano e tantos outros. Sangiovese é uma cepa que conta com muitos clones, tem maturação irregular e apresenta resultados distintos em diferentes territórios – o que, no entanto, não limita a sua popularidade. Pode dar vinhos magros e encorpados, mas sempre conjugados com uma acidez que garante a elegância dos seus produtos.

Quanto chegamos ao segundo decanato, o clássico geminiano é, sem dúvidas, o vinho espumante – em todas as suas versões: Champagne, Cava, Espumante Nacional, Prosecco etc. Afinal, qual é a bebida que torna as pessoas alegres, vivazes, comunicativas e se adapta a quaisquer circunstâncias? O néctar perolado! Vinho universal, fácil de gostar, seja para refrescar o calor da praia, seja para iluminar os jantares mais celestiais – como eternizado pela célebre frase de Napoleão Bonaparte: Eu não posso viver sem o Champagne; na vitória, ele é merecido, na derrota, ele é necessário.

Finalmente, o terceiro decanato continua com um vinho branco, que carrega a leveza, o frescor do geminiano e mantém certa ambivalência: Pinot Grigio/Pinot Gris. A Pinot Grigio é a sua versão italiana, bastante conhecida internacionalmente e que gera um vinho frutado e fácil de beber, um vinho de festa. No norte da Itália, se apresenta mais cítrico e mineral; em seu país de origem, França, a Pinot Gris faz vinhos mais encorpados, de acidez mediana e aromas que remetem a notas de limão, pêssego e mel. Essa dupla personalidade, mostra a oscilação entre o perfil aberto e sociável do geminiano e um estilo mais introspectivo, com notas mais adocicadas , que o aproximam do próximo signo do zodíaco: Câncer.

Se você gostou, compartilhe e acompanhe a série! Acompanhe nas minhas redes sociais, dicas de vinhos para cada signo.

Em breve, Passaporte França da CAFA Wine School. Para saber sobre Cursos e Wine Masters Class de Míriam Aguiar, visite: miriamaguiar.com.br/blog – Instagram: @miriamaguiar.vinhos

Miriam Aguiar
Jornalista, educadora e especialista em vinhos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Consertar este planeta

Por Paulo Márcio de Mello

‘A Mão e a Luva’

Por Mônica Gusmão

A Lei de Biossegurança em pauta no STF

Uso de transgênicos não é tarefa fácil. Qual será a medida menos onerosa para as futuras gerações?

Últimas Notícias

Seven Tech: Mais de 2,5 milhões de cartões de crédito até 2023

Com operações em seis países e presença em três continentes (Europa, África e América Latina), o Seven Tech Group, que nasceu como Software house...

Indústria de fundos está pronta para investimentos sustentáveis

É hora de a própria indústria de fundos, por meio de iniciativas de autorregulação, preencher o gap regulatório que ainda existe em torno dos...

Índice da B3: Empresas com melhores práticas no mercado de trabalho

A B3, bolsa do Brasil, e a consultoria global, Great Place to Work, anunciaram nesta terça-feira a criação de um novo índice com foco...

Comissão debate venda da Oi Móvel para outras operadoras

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados promove audiência pública nesta quinta-feira (21) para tratar da venda da Oi Móvel...

CVM: Acordo de R$ 300 mil após autodenúncia de infração

O Colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) analisou, em reunião nesta terça-feira, propostas de Termo de Compromisso dos seguintes Processos Administrativos (PA)...